Por que uma startup quebra?

Por que uma startup quebra?

É um fato que nos últimos anos muitos novos empreendimentos surgiram. Parece que cada vez mais as palavras “empreendedor” e “startup” estão na moda, sendo frequentemente utilizadas. No entanto, infelizmente, é muito comum ouvir relatos de startups que quebram pouco tempo depois de surgirem.

Não é difícil lembrar de um parente, amigo ou conhecido que tenha se aventurado a abrir um negócio, mas o empreendimento não vingou. Para que isso deixe de acontecer de uma vez por todas, é necessário compreender o que exatamente causa o fracasso da maior parte desses negócios.

Este post é para mostrar quais os principais motivos que fazem uma startup fechar. Portanto, leia até o final para aprender muito e evitar que isso aconteça com você.

 

6 motivos pelos quais uma startup quebra

Dê uma olhada na lista que preparamos para você sobre os principais motivos que fazem um grande número de startups quebrarem:

 

1- Falta de recursos financeiros

Este é sem dúvidas um dos maiores motivos de falência entre as startups. Contudo, ele deixou de ser o principal problema porque existem muitas formas de lidar com os recursos financeiros de uma maneira saudável. Uma gestão financeira eficiente e inteligente, por exemplo, pode evitar que tais problemas apareçam.

Inclusive, também há diversos tipos de investimento que podem ser feitos para solucionar alguma deficiência financeira ou para dar um estímulo inicial aos negócios.

A fim de conseguir um bom investimento inicial para a sua startup, é muito importante apresentar algo que mostre como ela se destaca entre a maioria dos negócios e ter um plano coerente que interesse e encante os investidores, além de estar focado em resultados.

 

2- Ausência de um modelo de negócio

O modelo de negócio (ou Business Model Canvas) é algo esquecido por muitos empreendedores que estão começando e que não entendem a sua importância. O BMC permite que o empreendimento seja visualizado em uma única página.

Isso ocorre a partir de um quadro dividido em nove elementos que cobrem quatro áreas tidas como as mais importantes em um negócio: viabilidade financeira, clientes, infraestrutura e oferta. Tudo isso através de um desenho e não somente texto, o que gera uma melhor e mais rápida compreensão de tudo o que está envolvido.

Hoje em dia, o modelo de negócios é uma metodologia indicada para quem está começando suas atividades ou para quem deseja iniciar inovações em empresas que já estão em funcionamento. Isso porque o BMC possibilita que o empreendedor analise tanto o seu próprio negócio quanto o dos concorrentes.

 

3- Não ter uma equipe profissional

Empreendedores experientes dizem que mesmo o seu modelo de negócios sendo fraco, se a equipe for eficiente e habilidosa, a sua startup poderá levantar voo e crescer no mercado. Mas se a equipe for ruim, nada adiantará.

Como saber qual é a equipe certa? Ela precisa que todos os seus membros estejam em harmonia entre si e sintonizados com o mercado de atuação da startup. Também é necessário que esses profissionais complementem o trabalho um do outro e entendam bastante do segmento em que estão atuando.

Isso sem contar o foco em resultados, na conversão de clientes, no marketing e a relevância de ter uma mente aberta para todo o contexto à sua volta.

 

4- Possuir expectativas pequenas

Muitas pessoas que começam uma startup querem que ela seja uma startup para sempre. No entanto, essa mentalidade pode ser exatamente o que está segurando o empreendimento e impedindo que ele avance. Considere que uma startup é algo que deve ser visto como temporário.

Podemos dizer que ela é um meio e não um fim e que são criadas para eventualmente se tornarem empresas. Com essa expectativa em mente, você se empenha para conseguir uma excelente equipe, bons investidores e outros fatores que elevam a cada dia o seu negócio e fazem com que ele seja bem-sucedido.

A questão aqui é saber definir quais são as suas expectativas em relação a sua startup. Muitas delas acabam fechando as portas porque os seus sócios possuem fracas expectativas, impedindo o crescimento do negócio.

 

5- Não ter persistência

Não é novidade que o mercado no qual as startups estão inseridas é super competitivo e cheio de obstáculos. Por isso é preciso ter essas condições em mente quando for começar o seu empreendimento para depois não se deparar com os problemas e desistir.

Não aguentar a pressão e “pular fora do barco” no meio do caminho é um dos maiores motivos de quebra das startups. É a falta de persistência que faz com que você já se dê por vencido sem nem ao menos tentar de verdade salvar o seu empreendimento.

“Não tenho mais dinheiro” ou “não sei onde conseguir uma boa equipe” ou até “não sei como fazer isso” são frases bem comuns ditas por donos de startups quebradas. Hoje em dia, temos tantas informações disponíveis em tantas fontes diferentes que está muito mais fácil ir em busca de soluções.

 

6- Falta de assertividade

Para ser um empreendedor de sucesso e colocar a sua startup em uma posição acima da concorrência, é preciso ser assertivo em suas decisões. Não adianta procrastinar algo porque você não tem certeza ou não quer arriscar.

Esse mundo é feito de riscos. É preciso parar de achar que todos os erros são irreversíveis e ter mais confiança em suas ações e decisões. Se você errar, reaja e tente novamente, aprendendo com a sua experiência negativa.

É melhor tentar e errar do que não tentar, pois assim você não sai do lugar e a sua startup acaba sumindo aos poucos.

Não se engane: saber administrar os seus recursos financeiros, ter um eficiente modelo de negócios, contratar uma equipe de qualidade, alinhar suas expectativas, não desistir e ter assertividade na tomada de decisões são fatores essenciais para que a sua startup não quebre.

Não pense que você precisa cuidar disso tudo sozinho (a). É possível contratar profissionais especializados para fazer a sua gestão financeira, ajudar na elaboração do seu BMC, entre outras tarefas que podem te dar mais trabalho e gastar mais tempo.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu